Mesmo com todo o conhecimento tecnológico, ainda não existe um equipamento capaz de barrar o aparecimento de descargas elétricas atmosféricas. Na verdade, durante a maior parte da história, o surgimento de raios foi um grande mistério para os humanos.

Hoje, conhecemos mais sobre a origem dos raios e os danos que podem causar, mas os acidentes com descargas atmosféricas ainda proporcionam sérios prejuízos vitais, financeiros e muita dor de cabeça para todos, principalmente no Brasil, o país com maior incidência anual de raios.

Apesar de não conseguir impedir o surgimento de raios, é possível proteger a população de seus efeitos, por meio da execução de SPDA.


Entendendo o SPDA

O SPDA é a sigla para Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas, cujo execução engloba ao menos cinco etapas:


1 - Laudo Elétrico;
2 - Aterramento;
3 - Análise de riscos;
4 - Projeto executivo;
5 - Lista de equipamentos, acessórios e componentes da execução.


A primeira coisa que precisamos saber sobre o sistema é a sua exigência legal. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o SPDA é quesito obrigatório em qualquer estabelecimento com mais de 75KW de tensão elétrica, com alta circulação de pessoas (escolas e hospitais), edifícios com mais de 25 metros de altura, edifícios industriais com mais de 1.500m², prédios de prestígio histórico ou cultural, e subestações de energia.

O SPDA cumpre o importante papel de atestar a segurança local, evitando acidentes relacionados às descargas elétricas atmosféricas,como incêndios e explosões, que podem causar danos a população e funcionários.


Importância do Laudo Elétrico

O laudo elétrico é um documento oficial que deve ser elaborado, validado e assinado por um engenheiro elétrico habilitado. Além de informar o profissional que realizou o projeto, o documento é de extrema importância para afirmar o cumprimento das normas técnicas, conforme às regras da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), formalizar o procedimento e atestar se há falhas que devem ser corrigidas para melhoria da obra.


Por que fazer o Aterramento?

A medição de aterramento também é uma das etapas de grande importância no projeto de SPDA. Sua função é medir a capacidade do solo em absorver a alta tensão das descargas elétricas.

Essa ação protege não apenas os estabelecimentos locais, mas pessoas e animais que vivem na região.

O processo de medição de aterramento também é essencial para entender os riscos da região, informação que também deve constar no projeto de SPDA e que garante uma execução segura, que protegerá sistemas e conteúdos contra efeitos das descargas elétricas.


Projeto e execução

Para dar sequência à execução, é necessário desenvolver o projeto de SPDA em si. Além de reunir o laudo elétrico e resultados da medição de aterramento, o projeto deve conter o protocolo de segurança dos funcionários, com lista de equipamentos, acessórios e materiais que serão usados na execução, além da lista de equipamentos de proteção individual e coletiva. O papel do projeto de SPDA é direcionar a execução.


Conclusão

Por conta da sua complexidade e riscos, o projeto e a execução do SPDA deve ser feito de forma responsável, por profissionais habilitados e com conhecimentos técnicos em engenharia elétrica. Por esse motivo, somente profissionais habilitados e registrados no CREA (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia), com conhecimento das normas da ABNT, em especial a NBR 5419, podem guiar o planejamento e execução do SPDA.

Se a sua empresa atende os critérios obrigatórios para a instalação do SPDA ou deseja saber mais sobre a segurança do seu estabelecimento, converse agora mesmo com nosso time de especialistas, tire suas dúvidas e solicite o orçamento para o seu projeto.